NESTA EDIÇÃO

                                                                                Palavra do Bispo
                                                                                 Nossas Igrejas
                                                                             Concílios Regionais
                                                                                     Editorial

 

PROPÓSITO DE DEUS PARA LÍDERES

Na obra de Deus, chamamos de propósito a definição convicta do que nos propomos realizar; isso envolve necessariamente: Conhecimento de Deus, posicionamento pessoal correto, e ação conectada com o dono do propósito, Deus.
 Cremos que nenhum propósito de Deus com o homem está dissociado do seu propósito eterno de formar uma família santa, pura e piedosa que o adore em espírito e em verdade. (Malaquias 2.15).
     Sabemos que esse propósito original foi afetado pelo pecado, mesmo assim o Senhor não desistiu dele; Jó diz que “Nenhum dos seus planos será frustrados”. (Jó 42.2).
 Em virtude desse tropeço do homem Deus decidiu investir assim mesmo na restauração dessa família para o louvor da sua glória (Isaías 43.7), e enviou o seu Filho Jesus. (João 3.16).
Visando a restauração da sua família, Deus resolveu chamar homens para participar desse projeto; (Efésios 3.8-11).
 No início ele chamou Patriarcas, sacerdotes, profetas, reis, e investiu em cada um de acordo com a missão que a ele confiava; mas, como muitos desses não corresponderam à plena expectativa do propósito de Deus, chegou a hora de enviar seu próprio Filho  Jesus para virar a página da história e estabelecer uma Nova Aliança cujo conteúdo está em Efésios 4.1-8), para possibilitar que o seu propósito fosse alcançado.
 Nessa nova fase do projeto, quem for chamado tem que entender e aceitar que:
1º) O poder não emana da letra, mas do Espírito. (II Coríntios 3.6) e (Filipenses 2.13).
2º) O conteúdo que sustenta a ação na militância não vem do exterior, mas no seu interior. (Jeremias 31.33).
3º) O poder temporal não pode ser a força propulsora que dinamiza o propósito, mas a autoridade espiritual adquirida pelo testemunho pessoal. (I Coríntios 9.27).
4º) O propósito com o qual ele está comprometido é de Deus, não dele. (Efésios 3.8-10).
5º) No propósito de Deus não cabe apadrinhado nem nepotismo, tem que ser indicado, chamado e capacitado por Deus. (II Coríntios 3.5).
6º) No propósito de Deus, o peso maior não é o título, mas o serviço; sabendo que, o como fazer, é para Deus mais importante de que o simplesmente fazer. (Mateus 25.21).
7º) A recompensa do líder chamado por Deus pelo seu propósito será dada pelo Sumo Pastor no final da jornada; o que vier antes disso é suprimento para a militância. (I Pedro 5.4).
 Como vemos, o propósito de Deus é restaurar a sua família conforme o modelo que instituiu desde o Éden; para isso e nesse foco nos convoca para trabalhar, cuja maior recompensa é o direito de sermos parte integrante dessa abençoada família. (Gêneses 12.3). O resultado que o Senhor espera é que “Seja um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos, e para todos” (Efésios 4.56). Deus nos abençoe.

                                                                      Bispo José Francisco da Silva    

EDITORIAL

Conhecendo o Reino de Deus e o seu propósito para salvação da humanidade, po-demos avaliar a responsabilidade que assumimos dizendo sim ao chamado de Deus para fazer parte dele como líder.
Há de se considerar primordialmente, a pureza, a nobreza, e a santidade que o caracteriza; sabendo que a sua origem e comando estão instaladas no Trono de Deus, e que o seu Rei é o Senhor Jesus Cristo.
Diante de tudo isso, como poderia alguém conhecedor dessa verdade, se arriscar a tratar o Reino de Deus com leviandade, a ponto de se apropriar do poder, da grandeza, e das bênçãos que esse Reino concede aos seus súditos através da Graça e da misericórdia, sem pensar em consequências? “Deus não se deixa escarnecer, tudo que o homem semear, isso também ceifará”. (Gálatas 6.7).
Do mundo, do homem natural, até poderíamos entender, afinal eles não conhecem o projeto de Deus e não querem conhecer; mas, os cristãos, esses não podem negligenciar.
Que ao menos pela sua justiça o Senhor faça entender aos que são seus, a preeminência de respeito e honestidade com as suas coisas, seus bens, seu projeto. Amém.

                                                                            Bispo José Francisco da Silva 

   A JUSTIÇA DE DEUS

Justiça não é sinônimo de castigo, vingança ou punição; mas, o ponto fiel e central daquilo que é correto segundo princípios pré-estabelecidos. Por isso não existe justiça dissociada de um contexto que a justifique; ela para se estabelecer precisa de três pontos: 1º) Um histórico baseado em fatos reais e incontestáveis. 2º) Verdade bem identificada. 3º) Isenção de quem faz o julgamento da questão em pauta.
     Por isso a justiça não tem pressa para se estabelecer, ela sabe que não pode falhar nos seus conceitos, nem deixar dúvidas no seu fechamento; a não ser para quem tenta se defender a qualquer custo, e para isso busca na mentira a sua defesa, e da transferência de responsabilidades a sua arma venenosa para desarticular fatos.
      Por ser estruturada na verdade, e ter o aval de um Deus Eterno que garante o início e o fim, a justiça não tem pressa, por isso muitos se enganam com o Tempo da Graça e consideram a paciência e a misericórdia de Deus como impunidade, quando na realidade a Graça de Deus é o tempo do processo no qual Ele administra a justiça mediante dados que nós mesmos oferecemos.
    Vale lembrar que a Justiça de Deus não é uma sentença para cada pessoa, mas, um critério pré-estabelecido por Ele, no qual cada um se adequa e é feliz, ou não se adequa e vive se fazendo de vítima; o que não o isenta da sentença final. Deus é Justo, e o seu julgamento é perfeito. Aleluia!
                                   Bispo José Francisco da Silva  

ENCONTRO DE HOMENS DA IMO

Será no dia 17 de agosto o grande Encontro de Homens da nossa Irmandade, contamos com a mobilização dos nossos varões, a fim de que possamos fortalecer cada vez mais os laços de comunhão e afinidade dos homens da denominação.           
Não se trata de preenchimento de pauta, mas de um evento digno de um arraial do povo de Deus que deseja suas fileiras afinadas com o projeto a que se propõe realizar; as mulheres já mostraram a sua força; agora, sem competição, mas com objetividade e vigor fazermos a nossa parte.     

                                                                         Prebitério Deliberativo

IMO TAQUARA

Pastoreada pelo Pastor Leandro Parada Toledo e auxi-liado pelos Pastores: Claudia da Silva M. Rodrigues e Raphael Silva Pereira, a IMO Taquara completou seus 12 anos de fundação comemorados no dia 09 de junho de 2019.
Parabenizamos os pastores Leandro, Claudia e Rafael juntamente com os demais auxiliares, Deus continue usando os seus servos e fazendo prosperar todo ministério local; o Presbitério Deliberativo sente-se honrado em tê-los juntos, somando no Reino de Deus.

 

  IMO EL SHADDAI

 Esta amada Igreja, presidida pelo Pastor Edson Joaquim da Silva, comemorou nos dias 29 e 30 de junho 16º aniver-sário de fundação.
 Louvamos a Deus por essa obra que tem sido pautada na fidelidade e dedicação de seus obreiros, principalmente da sua liderança.
 Parabéns do Presbitério Deliberativo pelo 16º ano dessa Igreja, Deus continue enchendo de graça e de unção esse lugar, bem como a vida de cada irmão ali.   

                                                                                Presbitério Deliberativo  

  IMO REALENGO

Louvamos a Deus pelas oito vidas que foram batizados nas águas no domingo, 30 de junho de 2019. Foi maravilhosa a festa espiritual que vivemos. Parabéns ao Pastor Luiz Antonio e a todo ministério local.                                                                                                                                                     Presbitério Deliberativo  

 

IMO MORADA DO CAMPO

Nos dias 08 e 09 de junho esta amada Igreja comemorou seus 21 anos de fundação. Parabenizamos a Pastora Iara Maria dos Santos Lemos que vem presidindo ali a Casa de Deus com muita dedicação e eficiência; sendo obediente a Deus e à sua liderança, além de somar em tudo com a sua denominação. Pelo que, Deus a tem feito prosperar fazendo-a bênção para todo bairro da Morada do Campo.
O Presbitério Deliberativo parabeniza os amados irmãos ali, que ao lado da sua pastora têm somado para que essa obra alcance o nível que está hoje; Deus os abençoe sempre e faça prosperar mais e mais.  

 

ENCONTRO DE MULHERES IMO

Este Encontro majestoso, ocorrido no dia 01 de junho, reuniu aproximadamente 360 mulheres de Deus ali na IMO do Km 54, Igreja presidida pelo Pastor Jorge Luiz de Oliveira Fortunato e sua esposa e Pastora Rejane.
Foram quatro horas de muita unção e avivamento, com ênfase para o louvor, a Palavra e a comunhão.
Parabéns à equipe de trabalho dessa organização, a IMO agradece na pessoa do seu Presbitério Deliberativo.
Agradecemos ao Pastor Jorge Fortunato com o seu ministério, particularmente o feminino, pelo apoio e suporte administrativo e de logística para que tudo corresse bem; Foi bênção total.
Esse trabalho visa unir e dinamizar todas as mulheres da IMO, fortalecendo a comunhão de todo Arraial Metodista Ortodoxo.

 

CONCÍLIOS REGIONAIS

Foi de excelente aprovei-tamento e edificação espiritual, o Concílio realizado por cada Região Eclesiástica; tanto pela adesão dos nossos pastores e líderes, como pelo nível doutrinário de seus temas; focando sempre a necessidade de fidelidade e equilíbrio da nossa bandeira Metodista Ortodoxa; o que para a Igreja nos dias atuais é fundamental.
Foram debatidos os seguintes temas: A I Região iniciou com: “OS DESAFIOS DA IGREJA NO MEIO DE UMA GERAÇÃO CORROMPIDA”. A II Região com: “FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO”. A III Região com: “PROPÓSITO DE DEUS PARA LÍDERES”. A IV Região com: “A IGREJA E OS DESAFIOS ATUAIS”. 
Todos esses temas foram ministrados com abordagens diretas e fundamentados na Palavra de Deus; o que trouxe para os seus liderados e todos os demais um conteúdo de excelente qualidade para os nossos líderes.
Assim é a IMO, fiel à Palavra e comprometida com a simplicidade do Evangelho de Jesus. A partir deste Shalom estaremos enviando o conteúdo básico, um por mês, os quatro temas ministrados para conhecimento de toda denominação, tendo em vista que devido à distância geográfica nem todos podem estar juntos nesses eventos. 

 

80º CONCÍLIO GERAL DA IMO

Amados, está se aproximando o nosso 80º Concílio Geral que acontecerá nos dias 20 a 22 de setembro do corrente ano.
Este ano teremos um Concílio temático, quando assuntos dos mais variados e interessantes para nossa vida cristã e ministerial serão abordados para edificação de todos.
Procurem se organizar para não ficar de fora, vale a pena o investimento nesses dois dias e meio, ainda mais que é apenas uma vez no ano.
Este ano estaremos apresen-tando aos pastores um trabalho de atualização e fixação doutrinária com base no que nós cremos como Irmandade Metodista Ortodoxa; o que será de grande valia, principalmente para os pastores da IMO.

 

LEVANDO DEUS A SÉRIO

Cinco pontos caracterizam essa nobre e valiosa postura:
1º) Ter consciência de que foi chamado por Deus, e por isso não é dono do ministério que exerce.
2º) Como mordomo que é no serviço ministerial, não tem direito de escolher a quem servir, com conceitos humanos e discriminatórios.
3º) Na condição de chamado por Deus para servir, não pode e nem deve pleitear direito algum pelo que faz, nem usufruir do que pertence ao Reino de Deus a quem serve, sem que seja por Ele legitimamente autorizado.
4º) O voluntariado, com propósito firmado em Deus, deve ser a tônica para o exercício do chamado, tendo nisso o seu maior prazer.
5º) Uma vez pego pela própria consciência, ou por alguém usado por Deus, agindo diferente desse padrão, deve se render às evidências e se colocar à disposição de quem o chamou para que sejam corrigidas as suas irregularidades, e o Reino não sofra por sua causa, nem seja o próprio condenado por desobediência. “Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões”. (Atos 9.5).
Sem esses cuidados, corremos o risco de sermos considerados por Deus, “Malditos”, por fazermos a obra do Senhor fraudulentamente. (Jeremias 48.10).
                                                                                                                     Bispo José Francisco da Silva.

 

A DECEPÇÃO E SEUS EFEITOS 

Decepção é um choque de expectativas contrariadas, causado por uma nova realidade surgida através de um fato novo e momentâneo que se opõe a tudo que antes era conhecido como verdade, destruindo tudo nteriormente planejado sobre valores nobres, puros e edificantes da vida, visando construir um relacionamento sério, sadio, e promissor naquilo que se propõe como projeto.
Uma decepção causa danos irreparáveis em duas direções: 1ª) Fere, e provoca dores na alma dos que são leais ao projeto; macula a confiança pessoal e coletiva entre pessoas antes confiáveis, que não vêm mais motivo nem segurança para confiar, além de ofuscar a figura do fator lealdade tão valorizado anteriormente por uma das partes. 2ª) Dilacera a consciência de quem causa a decepção, anula a confiabilidade do fator agente, condenando-o a mentir para sobreviver, ou confessar para começar do zero, muitas vezes depois de longa caminhada.
Não há decepção sem consequência, a Bíblia como Palavra de Deus é o foro para julgamento, tendo a Lei da Semeadura como código para julgar. 
                                                                                              Bispo José Francisco da Silva